C?o do Dia & Cia

Sorocaba, Quarta, 1 de Outubro de 2014

Aqui todo Pet é especial!
Pet do Dia
Envie a foto de seu Pet
Pet procura Amor e Carinho
Feiras de Animais e Eventos
Sugestões para nomes de filhotes de Cão
Lista de Pet-Shops, Veterinários, Canis, Hoteis para cães, Canis, ONGs e outros
Tire suas dúvidas com os profissionais cadastrados no site
Artigos sobre Animais
Guia de Raças de Cães
Fotos dos Pets Anteriores
Verifique aqui os pets que se perderam de seus donos
Pet a procura de namoro
Classificados de Empregos (Vagas e Candidatos)
Classificados para Compra/Venda/Doações

Cão do Dia & Cia . Artigos

Listar todos os artigos
Artigo

Remédios caseiros para cães

Autor/Publicador Fernando Francisco de Oliveira
Data 2009-02-21 14:23:36

por Consultant Dr. William Fortney - traduzido por HowStuffWorks Brasil

Cães com sarna

A sarna é causada por uma infestação de ácaros de sarna. Seu nome latino, Demodex canis, deu origem a outros nomes formais para essa afecção: demodécia.

A maioria dos cães saudáveis sempre carrega uma pequena população de Demodex mites. A demodécia pode ser localizada, o que significa que se estabeleceu somente em uma área do corpo do cão ou pode ser generalizada, espalhando-se por todo o corpo. A demodécia localizada é mais comum e freqüentemente melhora de maneira espontânea. Por outro lado, a demodécia generalizada, que felizmente é muito rara, exige que o cão tome banhos de imersão uma ou duas vezes por semana, entre seis e oito semanas. Normalmente, o cão precisa ser depilado para que o banho seja mais eficiente.

Acredita-se que a demodécia seja, ao menos em parte, genética e cães que possuam essa característica devem ser esterilizados, de modo que não passem a característica adiante. As raças que tendem a ser mais afetadas pela demodécia são a Afghan, Pit Bull Terrier, Staffordshire Terrier Americana, Terrier de Boston, Boxer, Buldogue, Chihuahua, Shar-Pei, Collie, Dálmata, Doberman, Pastor Alemão, Dinamarquês, Pastor Inglês e Buldogue miniatura (pug).

Outro tipo de acaro de sarna, o Sarcoptes Scabei (var. canis), é a causa da sarna sarcóptica, mais conhecida como escabiose. Esses ácaros abrigam-se na camada mais externa da pele e põem ovos. Os ovos são chocados, as larvas amadurecem e o ácaro adulto recomeça o ciclo. A escabiose é altamente contagiosa e é uma das afecções mais comuns e que podem ser transmitidas de cães para pessoas por meio do contato direto.

O que fazer

A melhor estratégia para o tratamento da sarna é a prevenção. Escovações e banhos regulares ajudarão a remover crostas e pele descamada provocada pela sarna e podem ajudar a manter seu cão livre dessa doença. Se seu cão tiver sido infestado por ácaros de sarna, lave totalmente sua cama ou outras áreas em que ele dorme. Não tente qualquer outro tratamento caseiro até que você tenha levado seu cão ao veterinário.

Quando ir ao veterinário

Os sinais de demodécia localizada são perda de pêlos e crostas de pele e  pele avermelhada ao redor do focinho ou patas dianteiras. A demodécia generalizada apresenta sinais similares, porém mais espalhados e severos. Para diagnosticar a demodécia, seu veterinário raspará suavemente parte da camada superficial da pele do cão e examinará o material sob o microscópio para ver se há ácaros. Se necessário, o veterinário prescreverá um banho e antibiótico para evitar qualquer infecção secundária provocada por arranhões. Infelizmente, a demodécia é persistente e não há garantia de recuperação, especialmente em cães mais idosos.

Os sinais de escabiose são perda de pêlo, pequenos inchaços avermelhados e coceira intensa. Como a sarna demodética, a escabiose é diagnosticada através de raspagem da pele e tratada com um banho semanal que seu veterinário prescreverá. Se seu cão tiver escabiose, você precisará isolá-lo até que o tratamento se complete e limpar totalmente tudo o que tiver entrado em contato com ele. Os ácaros da sarna sarcóptica são extremamente persistentes, de modo que outros cães da casa também devem ser tratados, mesmo que não apresentem sinais.

Agora vamos ver outro problema que pode afetar um cão: a obesidade.